Gestão da manutenção – use o ‘wrench time’ como KPI

Equipamentos, Mercado

Independente da profissão ou ofício é comum desperdiçarmos um tempo precioso, que muitas vezes não notamos e que interfere diretamente na produtividade e nos resultados. Não estamos dizendo com isso para desconsiderar as pausas necessárias, e algumas até obrigatórias pelas leis, como por exemplo, a de segurança do trabalho. E aqui entra o que chamamos de gestão da manutenção.

Conseguir calcular o tempo de produção é algo estratégico, especialmente na indústria e a gestão da manutenção faz parte do setor tático onde, medir a produtividade vai contribuir no levantamento de dados de muitos outros indicadores, como por exemplo gargalos e outros pontos que podem estar interferindo nas entregas. Por isso, foi criado o que o setor chama de “wrench time”.

Também conhecido como “Medidor de Produtividade na Manutenção”, o “wrench time” é um indicador que calcula o percentual de tempo que o técnico efetivamente leva para fazer a manutenção em um determinado equipamento. Ou seja, o cálculo desconta o tempo, por menor que seja, gasto no deslocamento dentro da fábrica, pausas, período de orientações, instruções e preenchimento de relatórios, entre outras.

Para otimizar esse tempo é inevitável falar sobre transformação digital. Pois, com o uso de tecnologias e plataformas digitais integradas ao plano de manutenção, a contribuição para melhorar o “wrench time” é significativa.

Gestão da Manutenção – A importância do Wrench Time para sua empresa

Quando a equipe de gestão consegue dimensionar os recursos, sejam humanos ou tecnológicos, a tendência é sempre potencializar a maior eficiência que reflete no aumento da produtividade.

O wrench time se tornou uma métrica fundamental para a gestão da manutenção. Isso porque por meio desse indicador é possível medir o desempenho dos funcionários e identificar gargalos e desperdícios de tempo operacional. A estimativa é que a manutenção pode chegar a 50% da planilha de custos de uma indústria; percentual alto para um setor essencial no campo da lucratividade. Logo, reduzi-lo é uma medida prioritária, sem deixar de fazer a manutenção. Em outras palavras, a gestão da manutenção deve equilibrar a produtividade e a manutenção usando as ferramentas que tem, wrench time é uma delas.

Como calcular?

O cálculo do “wrench time” é basicamente subtrair o tempo que o técnico da manutenção gasta com: pausas das mais diversas, descanso, espera de cliente por atraso, deslocamentos, etc; pelo tempo total usado para concluir a manutenção do equipamento.

Para isso pode ser usada alguma plataforma integrada à máquina, onde por exemplo o técnico aperta “play” quando começa a manutenção e pause quando precisa parar de mexer na máquina. Ao final será registrado de fato o tempo que usou para a manutenção pura. Em outras palavras, com a transformação digital já existe no mercado uma plataforma de supervisão digital com sistema integrado que consegue medir o “wrench time” com precisão, e possibilidade de embarcar a tecnologia em smartphones.

Outro método que pode ser usado é o uso de cronômetro seguindo essa mesma lógica.

Em números

Supondo que o colaborador trabalhe 8 horas por dia. Em determinado dia ele fez 2 manutenções. Uma no período da manhã e outra no período da tarde. Entre deslocamentos, relatórios, etc, usou 3 horas e “com a mão na máquina” levou 1 hora realizando a manutenção, em cada período. A porcentagem das 8 horas de trabalhos sendo  2 usadas na atividade pura da manutenção foi de um wrench time de 25%.

A conta é simples, o que complica é o caminho para chegar aos números. Como comentado anteriormente, ter uma plataforma de supervisão digital que calcula automaticamente é o ideal. O cronômetro pode ajudar, porém sem precisão.

A gestão da manutenção pode ainda usar a maneira analógica, até que se consiga modernizar o processo, solicitando que os próprios colaboradores anotem e posteriormente registrem também esse dado junto ao relatório. Mas também não será um número preciso como seria por meio de um software, aplicativo ou plataforma digital.

Principais dificuldades de wrench time na dinâmica das rotinas de gestão da manutenção

Dentro do escopo de gestão da manutenção acontecem muitos ruídos de comunicação e de operação que acabam por gerar grandes desperdícios de tempo, ainda que de forma implícita. E, mesmo tendo um sistema para calcular o tempo, depois que os dados são registrados, se tornam impossíveis de separar o que é manutenção pura e o que é processo administrativo da manutenção. Outros desafios nesse mesmo contexto são:

  • Necessidade de realocar a máquina;
  • Wrench time não é timesheet eletrônico;
  • Alocação de equipe em situações emergenciais;
  • Diferença de tempo gasto com manutenção corretiva e preventiva;
  • Tecnologia acessível e assertiva para registrar o tempo real de cada operador por máquina;
  • Diferença de “hora pura” e tempo usado para “questões administrativas” da manutenção;
  • Registro de equipamento indisponível para manutenção ou deslocamento interno entre almoxarifado e local da manutenção computados como “hora pura”.

Por fim, é importante ressaltar que, fazer essa medição, independente da tecnologia ou nível de precisão é um passo importante. E para melhorar é preciso atenção na qualidade da informação levantada. Por isso gestão e comprometimento farão a diferença.

E aí, como sua empresa faz o controle do “wrench time”? Já parou pra pensar sobre isso?

Publicado em 08 fevereiro de 2021

Open chat
Fale com um especialista
Olá, Podemos Ajudar?