Gerenciamento de equipes industriais de alta performance

Mercado

O trabalho de gestão, de modo geral, precisa de um líder com perfil interdisciplinar; na indústria essa característica é ainda mais importante para gerar identificação e confiança, que reflete em produtividade. Isso porque o gerenciamento de equipes de alta performance exige múltiplos conhecimentos por parte do gestor.

Em outras palavras, conhecer minimamente o trabalho de cada um gera credibilidade no líder. Um líder que tem o respeito por seu conhecimento e não por medo ou hierarquia, tem maior poder de persuasão frente a equipe; consequentemente torna o time mais comprometido.

Quando uma equipe está comprometida com o resultado, o trabalho feito de forma unida rende alto nível de performance, o que resulta em grande diferencial competitivo. Não à toa muitas empresas adotam medidas de melhorias e assim se destacam no ranking de melhores empresas para se trabalhar; ganhando destaque e preferência do público interno. Essa valorização tem forte influência no gerenciamento de equipes, pois, tanto no time que já atua, quanto na hora de uma nova contratação, faz parte do processo seletivo atrair pessoas aplicadas que atuem de maneira coesa com foco em resultado.

Para alcançar esse nível de destaque e preferência, o trabalho do líder e gestor de equipe, especialmente dentro do setor industrial, é algo conquistado. Como já comentado, o líder que conhece o processo na prática costuma ter mais relação identitária com os colaboradores.

Essa é a primeira dica aqui: Para liderar, conheça o trabalho, desafios e necessidades dos seus liderados. Apontar e julgar, responsabilizar o outro por qualquer falha no processo não é uma boa prática nesse gerenciamento de equipes. Fica a dica!

Quem ocupa um cargo de gerenciamento de equipe não necessariamente precisa ter passado por todas as funções, mas precisa entender o que cada um faz. Isso certamente irá contribuir para a união e coesão do time. A ideia desse tipo de gestão é fazer da equipe um time imbatível e, para isso, o foco deve ser o mesmo; pautado em valores que todos acreditam e veem na prática dentro da organização.

Gerenciamento de equipes industriais – Alcance Alta Performance

O ser humano e suas relações interpessoais são constantemente estudadas, especialmente no âmbito da sociologia e da psicologia. Isso porque todo trabalho, até mesmo os individuais são feitos por pessoas, para pessoas; e onde tem gente tem conflito. Logo, quando o trabalho é em equipe o desafio é ainda maior. Entender, atender e respeitar as particularidades de cada um, reconhecendo suas habilidades e atributos para unir os pares que se complementam, administrando os conflitos que surgem pelas diferenças, é uma das maiores habilidades de um gestor de equipes de alta performance.

O papel do líder

Ao reconhecer habilidades que somadas fazem a diferença, muitas vezes pode se fazer necessário lapidar para melhor adequar ao perfil da empresa. Essa missão pode ser delegada e não necessariamente estar sob a responsabilidade do gestor. Saber delegar é outro papel importante de um bom líder que consegue assim, otimizar o próprio tempo e desenvolver outros colaboradores como líderes. Quem está há mais tempo na empresa ou conhece determinada função pode fazer esse papel de lapidar uma nova dupla ou setor.

Em outras palavras, é ensinar o método da empresa para que se entenda como uma filosofia de trabalho. Assim, o desempenho do time ganha ritmo e as vivências se sintonizam de modo que o comportamento profissional reduz conflitos internos.

Em um contexto geral para atuar com gestão de alta performance é fundamental ter três pilares muito bem definidos. São eles:

1.Metas e Objetivos

Traçar metas e objetivo claros e alcançáveis, com planejamento e projeção, fazendo análise de cenários e reavaliando as metas periodicamente de maneira aberta e transparente com o time, é o primeiro passo deste pilar.

Novos desafios são sempre combustíveis para profissionais que gostam de se aperfeiçoar. Por isso, trabalhar de maneira transparente com a projeção de metas atingíveis é fundamental para que a equipe alcance os resultados esperados e se sintam parte do processo; com abertura inclusive para sugerir reavaliação e adequação das metas e alinhamento em um possível novo planejamento.

2.Relacionamento com a equipe

Se um líder precisa ter um perfil multidisciplinar é porque sua equipe certamente possui profissionais de múltiplos talentos, habilidades e área de desenvolvimento. Então, para ter um bom relacionamento com a equipe é preciso conhecê-la bem. Assim, será mais fácil identificar os atributos de cada um para direcionar o profissional certo para a atividade adequada; que será potencializada enquanto performance caso uma pessoa capacitada a opere.

Em outras palavras, quanto maior o conhecimento maior a capacidade de performar de maneira ágil e eficiente. E nesse ponto entramos em outro fator fundamental do relacionamento com o time: cursos, treinamentos e capacitações; que além de atuarem de maneira motivacional para o colaborador é essencial para melhorar a produtividade.

Para fortalecer um time, pergunte quais são seus anseios e necessidades; mas não apenas para saber. Faça-os perceber que a pergunta não foi em vão e tenha uma equipe de alta performance em sintonia.

3.Resultado & Excelência

Reduzir burocracias e estabelecer regras que façam parte de um novo perfil cultural são tendências de excelência que estão surgindo neste novo cenário com foco em resultado. A visão estratégica de fugir do convencional e reconhecer o ritmo e formato do seu negócio será um divisor de águas nos novos tempos. Por exemplo:

  • Seu colaborador precisa realmente estar presencialmente na empresa, todos os dias?
  • E o horário precisa realmente ser o “padrão” – 08h às 18h? 
  • Relatórios e formulários são realmente necessários? Em papel ou digital? Qual o objetivo e finalidade?

Esses são apenas três exemplos básicos que tendem a mudar. Se o seu colaborador faz as entregas que lhe cabe trabalhando remotamente, uma boa prática é perguntar se o mesmo prefere trabalhar na empresa ou no modo remoto. O horário, quando cabível a função, também deve ser combinado, independente da contratação CLT ou PJ. Afinal, existem pessoas que performam melhor a noite e, se sua função permitir que seu trabalho seja noturno, sem outras implicações legais, etc, é interessante que assim se faça; isso irá refletir nitidamente nos resultados

Quanto aos relatórios citados, é interessante notar a falta de motivação quando se faz algo sem saber o objetivo; como formulários que são engavetados e ninguém vê motivo de tê-lo preenchido. O mesmo vale para relatórios que não apresentam razões para se investir tempo naquilo. Avaliar alguns pontos é essencial para a excelência dos resultados. 

Estamos em um momento onde reavaliar a cultura organizacional passa por esses pormenores! Se você tem mais alguma sugestão importante para somar aos pilares para uma gestão de alta performance, deixe nos comentários. Nesse novo cenário que está surgindo, a parceria e a troca de informação é o que faz diferença para o mercado. Vamos juntos?

Publicado em 17 novembro de 2020

Open chat
Fale com um especialista
Olá, Podemos Ajudar?