Novas tecnologias na indústria – O futuro da manufatura

Mercado

A tecnologia da indústria de manufatura vem desde a primeira revolução industrial. O futuro da manufatura sintonizar Inteligência Artificial e Humana.

Dentro do conceito de manufatura está a produção artesanal, suas técnicas e divisões de trabalho, bem como a citação sobre atividades com o uso de máquinas caseiras ou manuais. Ou seja, a tecnologia da indústria de manufatura vem desde a primeira revolução industrial, chegando até a indústria 4.0 dos dias atuais.

Mas como vai ser daqui em diante? Como será o futuro da manufatura?

Falar disso é impossível sem associar primeiramente com a educação, pelo fato de que essas questões estarem totalmente interligadas. Estamos em tempos onde a tecnologia é usada em larga escala e os profissionais necessitam migrar do trabalho manual/operacional para intelectual – e isso vai se intensificar no futuro.  A tendência é que, cada vez mais, a tecnologia e a robótica se aperfeiçoem de forma a eliminar quase por completo o trabalho “manual”, e os profissionais da manufatura precisarão estar preparados para operar essas máquinas, presencialmente ou remotamente, por meio de seu conhecimento técnico intelectual.

Já entrando um pouco nas ferramentas tecnológicas desse futuro da manufatura, a integração digital é, talvez, a primeira grande mudança.

As linhas de produção já estão tomadas por máquinas. As tendências aplicáveis de novas tecnologias e ferramentas digitais saltam a passos largos nos mais variados segmentos. A medicina e a comunidade científica na busca por vacinas, curas por doenças e medicações que promovem qualidade de vida é um prova disso. Outro grande exemplo é a engenharia mecânica que desenvolve soluções tanto criando braços e pernas mecânicas para pessoas com deficiência à equipamentos que otimizam processos industriais, comprovam que não há fronteiras quando o assunto é tecnologia.

A ciência de dados por meio do blockchain, da big data e da IoT também são bons exemplos por atender desde o mercado do agronegócio até a área médica, passando pela indústria de alimentos, telecomunicações e setores internos corporativos. Em outras palavras, as ferramentas vinculadas às novas tecnologias e as que não são tão novas assim estão em todo lugar. Por isso é fundamental que o mercado abra os olhos para entender o que se adéqua ao seu modelo de negócio para não ficar para trás.

O futuro da manufatura

Como já foi comentado, as mudanças mercadológicas estão dando saltos, tamanha velocidade com que a integração digital toma conta dos espaços. A cada momento uma nova ferramenta surge para otimizar processos, reduzir tempo de produção, tornar decisões mais assertivas, automatizar procedimentos, gerar dados. E, com tudo isso, as perspectivas de se alcançar patamares econômicos mais lucrativos são cada vez mais palpáveis.

A transformação do mercado está diretamente ligada a transformação digital das empresas. Agora, vamos pontuar algumas tecnologias que já estão sendo usadas e aprimoradas a medida que se percebe a necessidade de ajustes e aperfeiçoamento:

IoT

Internet das coisas ou IoT é a tecnologia que possibilita a interconexão digital entre objetos e serviços via internet. Você já imaginou a sua geladeira fazer sua lista de compras de acordo com a leitura de dados do que entra nela com o que está em falta? Pois é. É mais ou menos por aí.

A IoT permite a conexão entre máquinas e equipamentos em uma rede. Basicamente é um trabalho de coleta, monitoramento, análise e transmissão de dados, que torna o processo do objeto conectado com a tecnologia IoT mais eficiente. A IoT no âmbito residencial tem muitos exemplos com as chamadas ‘casas inteligentes’, e algumas dessas tecnologias são adaptáveis para empresas e indústrias.

Na indústria um exemplo de IoT é vista na tecnologia que gera aumento no lucro a partir de uma conexão que gerencia estoques, prevê riscos, reduz desperdícios, entre outros fatores possíveis de serem controlados e monitorados a distância.

Blockchain

A transformação digital tem infinitas possibilidades e, com o aumento exponencial do consumo e produção de dados, aliado a preocupação com a segurança dos mesmos, surge a tecnologia blockchain. Ao contrário do que muita gente ainda pensa, a tecnologia Blockchain não se trata apenas de uma ferramenta de dados voltada para serviços financeiros.

Entre outras coisas é uma ferramenta tecnológica digital que mapeia e rastreia dados melhorando a comunicação, o conhecimento e a informação de toda a cadeia cadastrada em sua rede. A tecnologia blockchain possibilita ainda o armazenamento de dados com segurança e transparência.

Sustentabilidade

A gestão voltada para a sustentabilidade é uma tendência relativamente antiga mas que está diretamente ligada às inovações de IoT e Blockchain. Sensores de luz e água reduzem custo e estão ligadas a tecnologias sustentáveis. A energia solar entre outras fontes limpas e renováveis, também são sustentáveis reduzindo custos e riscos.

Na indústria a gestão de resíduo, dependendo do segmento de mercado também são consideradas tecnologias sustentáveis e neste caso, além de gerar redução de custo possibilita um ganho em receita.

Transformação Digital

Para começar a introduzir tecnologia nos modelos de negócio é fundamental que as indústrias e empresas passem pela transformação digital, que começou no século passado. Se seus documentos não estão digitalizados e sua comunicação segue analógica, você está bem atrasado.

Em outras palavras e de maneira bem resumida, as ferramentas digitais são tecnologias que apresentam soluções em plataformas no universo digital, conectados ou não à internet.

Fazer a transformação digital de uma empresa representa desde uma automação na comunicação por e-mail ao controle de estoque por meio de um software. Ou seja, é deixar que a máquina faça o que o ser humano não consegue fazer ou levaria mais tempo, passivo de cometer mais erros.

Por fim vale ressaltar que, a tecnologia avança a fim de minimizar riscos, sejam eles biológicos (a exemplo da pandemia pela qual o mundo passa), como no caso de elevadores inteligentes; sensores para que não precisemos encostar nas coisas, etc, à mitigação de riscos mercadológicos para que as empresas continuem a funcionar independente de crises externas.

Publicado em 03 julho de 2020